Centro de Ciências Agrárias
  • Pesquisadores da UFSC lançam manual de boas práticas para bem-estar de cavalos em terapias e atividades assistidas

    Publicado em 29/10/2021 às 14:33

    O lançamento do Manual de Boas Práticas para o Bem-estar do Cavalo nas Terapias e Atividades Assistidas com Equinos, que tem entre seus autores dois pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), está agendado para o próximo dia 10 de novembro, em São Paulo.

    Assinam a obra a professora Denise Pereira Leme, médica veterinária do Departamento de Zootecnia e Desenvolvimento Rural do Centro de Ciências Agrárias (CCA), e o mestrando do Programa de Pós-Graduação em Agroecossistemas, Fernando Jahn Bessa, oficial da PMSC e instrutor de equitação.

    O livro tem autoria de mais dois profissionais da Associação Brasileira de Reabilitação Equestre (ABRE), Syllas Jadach, oficial da PMSP e instrutor de equitação, e Giulia Policastro, terapeuta ocupacional e especialista em intervenções assistidas com equinos.

    O manual traz um conteúdo inédito com o objetivo central de divulgar conceitos de práticas e respeito ao bem-estar equino nas Terapias e Atividades Assistidas com Equinos (TAAEs). Assim, os responsáveis pelas TAAEs encontram na obra informações fundamentais para manutenção e uso consciente dos cavalos, seres sencientes e que merecem manejo e cuidados de acordo com sua própria natureza.

    Mais informações sobre o manual neste link.

    Fonte: Site UFSC

     


  • Professores do CCA apresentam acadêmicos residentes no Programa de Residência Profissional Agrícola do Ministério da Agricultura.

    Publicado em 29/10/2021 às 7:45

    O Projeto de Extensão Intitulado: “Desenvolvendo talentos para indústria de rações de monogástricos” coordenado pelo professor Diego Peres Netto do Departamento de Zootecnia, foi contemplado no Programa de Residência Profissional Agrícola, da Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo (SAF) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) com cinco Bolsas para acadêmicos de graduação atuarem como residentes em empresas parceiras ao projeto. Este programa é nacional e tem como objetivo apoiar a formação de técnica de alunos de graduação em final de curso por meio de treinamento prático, supervisionado e orientado por Instituição de Ensino e realizado em Unidades Residentes do Setor do Agronegócio.

    No mês de Outubro de 2021 o prof. Diego, juntamente com as professoras colaboradoras do projeto: Lucélia Hauptli e Priscila de Oliveira Moraes, apresentaram oficialmente os residentes as Unidades Residentes parceiras.

    Os acadêmicos Residentes atuarão nas empresas durante dez meses, sendo orientados pela equipe do projeto e supervisionados por um profissional designado em cada Unidade residente.

    Da esquerda para a direita: Maiara Petri Vilvert (Nutricol Alimentos – Unidade Residente), Liandra Canto Collares (acadêmica de Zootecnia – UFSC) Carla Carolina Fernandes (acadêmica de Zootecnia – UFVJM).de Residente.

    Da esquerda para a direita: Diego Peres Netto (professor – UFSC), Lucélia Hauptli (professora – UFSC), Ivair Piccinin e Alexandre Gabbi (Pronutra – Unidade Residente), Luiz Felipe Rodrigues Nogueira (acadêmico de Zootecnia – UFSC).

    Da esquerda para a direita: Diego Peres Netto (professor – UFSC), Meire Luiza Wirth (acadêmica de Zootecnia – UFSC), Vicente Murilo Paganela (Opta – Unidade Residente), Lucélia Hauptli (professora – UFSC).

    – Da esquerda para a direita: Diego Peres Netto (professor – UFSC), André Ugione (Frangos Morgana – Unidade Residente), Braien Loman (acadêmico de Med. Veterinária – SCEI).


  • Doutorandos e egresso da Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais são premiados pela Fapesc

    Publicado em 27/10/2021 às 16:26

    Dois pesquisadores e um egresso do Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais (PPGRGV) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) foram contemplados com o Prêmio de Valorização da Biodiversidade de Santa Catarina, entregue pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina (Fapesc) na segunda-feira, 25 de outubro. O objetivo da iniciativa foi incentivar pesquisas e

    Os cinco vencedores foram premiados em cerimônia na última segunda-feira, 25. Foto: divulgação/Fapesc

    produção de conhecimento sobre espécies do ecossistema catarinense e apoiar a divulgação desses estudos, dando mais visibilidade aos resultados. Cada vencedor recebeu R$ 15 mil e passagens para o Rio de Janeiro para visitar o sítio Roberto Burle Marx e o Jardim Botânico.

    O prêmio foi dividido em três categorias: Roberto Miguel Klein, voltado para trabalhos que envolvem a ecologia e a biodiversidade de plantas nativas do estado; Raulino Reitz, para publicações que tratam da recuperação e da conservação das matas ciliares e atreladas a recursos hídricos; e Burle Marx, para publicações relacionadas à biodiversidade urbana e ao paisagismo ecológico.

    O estudante de doutorado do PPGRGV Valdeir Pereira Lima foi o vencedor na classe aluno de pós-graduação da categoria Roberto Miguel Klein. O prêmio deve-se a um artigo publicado na revista Austral Ecology em 2020, com o título Extinction threat to neglected Plinia edulis exacerbated by climate change, yet likely mitigated by conservation through sustainable use

    “Eu avaliei os impactos das mudanças climáticas globais sobre a distribuição na Plinia edulis, que é o cambucá. Essa espécie foi, por muito tempo, bastante abundante, mas hoje é rara”, explica. A fruta não foi encontrada sequer nas unidades de conservação do estado. “Chegamos à conclusão de que aproximadamente 50% das áreas climaticamente adequadas para o cambucá vão ser perdidas. Algo interessante é que as áreas climaticamente adequadas para o cambucá estão primordialmente em Santa Catarina, e nosso trabalho ressalta a necessidade de conservação.”

    Já Rosa Angelica Elias da Silva, também doutoranda em Recursos Genéticos Vegetais, foi premiada na categoria Burle Marx pelo artigo Structural aspects of cypsela and seed development of Trichocline catharinensis (Cabrera): a Brazilian endemic species, publicado na revista Protoplasma em 2019.

    Trichocline catharinensis é popularmente conhecida como cravo-do-campo e pode ser usada para fins medicinais. “Ela é característica da Serra Catarinense, onde tem uma adaptação ao clima, ao solo e ao gado que é característica desta espécie. Pode ser utilizada como ornamento e em programas de melhoramentos genéticos, já que se sabe que ela tem muitas deficiências durante sua propagação. Como ela tem resistência a pragas e ao clima, trabalhamos com o desenvolvimento do fruto e da semente. Pensando em planos de conservação, nós temos que saber o desenvolvimento da espécie”, afirma Silva.

    O egresso do PPGRGV e professor colaborador da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) Newton Clóvis Freitas da Costa, por sua vez, foi contemplado na classe professor ou pesquisador da categoria Roberto Miguel Klein pelo artigo Spatiotemporal variation in mating system and genetic diversity of Araucaria angustifolia: implications for conservation and seed collection, publicado neste ano na revista Forest Ecology and Management.

    O trabalho é resultado de estudos feitos em seu doutorado, realizado na UFSC. O pesquisador analisou o sistema reprodutivo da Araucaria angustifolia, o Pinheiro Brasileiro. “Meu objetivo era identificar os indivíduos machos que cruzavam com as plantas fêmeas. Isso caracteriza o sistema reprodutivo e a diversidade genética da espécie. Tudo isso avaliando ao longo dos anos. Conseguimos identificar algumas variações no espaço e no tempo. Ou seja, o sistema de cruzamento varia. Isso é importante para elaborar planos de conservação. Por exemplo, quantos indivíduos são necessários para manter em uma região para que a espécie se mantenha?”

    Também foram premiados Anaísa Catucci da Silva, da NSC Comunicação, na classe jornalista da categoria Roberto Miguel Klein, e a professora da Universidade da Região de Joinville (Univille) Denise Monique Dubet da Silva Mouga, na categoria Raulino Reitz.

    Mais informações no site da Fapesc.

    Fonte: Site UFSC

     


  • Inscrições para seleção da pós-graduação em Recursos Genéticos Vegetais

    Publicado em 19/10/2021 às 14:33

    Estão abertas até 26 de novembro as inscrições do processo seletivo, Mestrado e Doutorado, para ingresso no primeiro semestre de 2022 no Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais (PPGRGV/UFSC).

    Mais informações, acesse o link


  • Processo seletivo de professor substituto no Depto de Ciência e Tecnologia de Alimentos (CAL)

    Publicado em 27/09/2021 às 16:32

    O Departamento de Ciência e Tecnologia de Alimentos (CAL), por meio da Coordenadoria de Admissões, Concursos Públicos e Contratação, divulga o concurso para professor substituto.

    Campo de conhecimento: Ciência e Tecnologia de Alimentos/ Ciência de Alimentos/ Microbiologia de Alimentos.
    Processo: 23080.039184/2021-93
    Nº de vagas: 01 (uma).
    Regime de Trabalho: 20 (vinte) horas semanais
    Requisitos: Doutorado em Ciência de Alimentos ou Ciência e Tecnologia de Alimentos ou Tecnologia de Alimentos ou Microbiologia de Alimentos ou Engenharia de Alimentos ou Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia ou Microbiologia Industrial e de Alimentos ou Biotecnologia ou Ciências.
    Tema para Prova Didática: Fisiologia, multiplicação e inibição de bactérias patogênicas e deteriorantes de importância em alimentos e métodos analíticos tradicionais e alternativos de análise microbiológica de alimentos.

    Maiores informações, consultar o  Edital nº 79/2021/DDP


  • Professores da UFSC colaboram na produção de livro sobre variedades de uvas viníferas no estado

    Publicado em 24/09/2021 às 16:14

    Uma parceria entre a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), a Fundação Edmund Mach de Trento na Itália, a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) e produtores catarinenses possibilitou a realização de testes com 36 variedades de uvas viníferas em quatro locais de diferentes regiões de altitude do estado. A pesquisa, que avaliou o potencial da produção de vinho de qualidade de cada variedade, resultou no livro Potencial de variedades de uvas viníferas nas regiões de altitude de Santa Catarina, disponível para download gratuito.

    Os resultados apresentados caracterizam-se como um marco histórico na avaliação da aptidão do estado de Santa Catarina para a produção de vinhos finos. Dentre os pesquisadores responsáveis pela coleta de informações e conhecimentos científicos, os engenheiros-agrônomos e professores da UFSC Alberto Fontanella Brighenti e Aparecido Lima da Silva se destacam entre os organizadores da obra. O trabalho levou 15 anos para ser concluído e possibilitou o reconhecimento internacional do estado como produtor de vinhos finos de qualidade.

    Além disso, a parceria entre instituições e produtores proporcionou novos conhecimentos no sistema de produção a campo, investimentos em modernização da infraestrutura de vinificação e formação de competência humana pela qualificação de professores, pesquisadores e estudantes. O livro descreve as 36 variedades de uvas testadas, os aspectos socioeconômicos, incluindo solo, clima e fisiologia da produção de uva a campo e a avaliação enológica das diferentes variedades nas regiões de altitude de Santa Catarina.

    Fonte: Site UFSC

     


  • Nota de Pesar: José Ferreira de Macedo

    Publicado em 01/09/2021 às 10:21

     O CCA presta homenagem a José Ferreira de Macedo, importante nome do  agronegócio catarinense. Agrônomo formado pela Universidade Federal de Pelotas, foi o fundador da empresa Macedo Koerich, importante indústria da avicultura catarinense. Possui ainda mestrado e doutorado em Eng. de Produção pela UFSC. Em 1979, foi professor colaborador do CCA, ministrando a disciplina de avicultura para o curso de agronomia. Por conta de sua trajetória no agronegócio, foi homenageado como patrono da turma 2004.2 do curso de agronomia da UFSC.  O Sr. José Macedo faleceu em decorrência de complicações da doença de Parkinson aos 76 anos no dia 30/08/2021.

    Nas palavras do Sr. Luiz Galvão, servidor aposentado do CCA; “José Ferreira de Macedo foi Professor do CCA,contratado em 1977.Pessoa inteligente e muito boa.Nas palavras de José Alberto  Noldin , aluno da primeira turma de Agronomia: “Foi professor de avicultura da nossa turma e tivemos a oportunidade de visitar a empresa dele Frangos Macedo, nas margens da BR 101, em São José!Que Tenha o descanso Eterno!”

     


  • Pró-Reitoria de Pesquisa divulga resultado final do Prêmio Mulheres na Ciência 2021

    Publicado em 26/08/2021 às 9:47

    A Pró-reitoria de Pesquisa da Universidade Federal de Santa Catarina (Propesq/UFSC) divulgou o resultado final do Prêmio Mulheres na Ciência 2021.

    Para a Propesq, a outorga do prêmio simboliza um reconhecimento às mulheres cientistas, que precisam, diariamente, superar a invisibilidade. O relatório da Comissão Julgadora e o resultado final estão disponíveis aqui.

    O Prêmio Mulheres na Ciência 2021 foi criado com o objetivo de homenagear mulheres cientistas e incentivar a participação feminina de forma igualitária na pesquisa acadêmica. Segue a lista das pesquisadoras homenageadas:

    Categoria Junior

    Ciência da Vida: Ione Jayce Ceola Schneider (Departamento de Ciências da Saúde, Campus Araranguá)

    Ciências Humanas: Marília de Nardin Budó (Departamento de Direito, Centro de Ciências Jurídicas)

    Ciências Exatas e da Terra: Christiane Fernandes Horn (Departamento de Química, Centro de Ciências Físicas e Matemáticas)

    Categoria Plena

    Ciências da Vida: Maria Jose Hotzel (Departamento de Zootecnia e Desenvolvimento Rural, Centro de Ciências Agrárias)

    Ciências Humanas: Daniela Karine Ramos (Departamento de Metodologia de Ensino, Centro de Ciências da Educação)

    Ciências Exatas e da Terra: Lucila Maria de Souza Campos (Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas, Centro Tecnológico)

    Categoria Sênior

    Ciências da Vida: Ana Lucia Severo Rodrigues (Departamento de Bioquímica, Centro de Ciências Biológicas)

    Ciências Humanas: Cristina Scheibe Wolff (Departamento de História, Centro de Filosofia e Ciências Humanas)

    Ciências Exatas e da Terra: Regina de Fátima Peralta Muniz Moreira (Departamento de Engenharia Química e Engenharia de Alimentos, Centro Tecnológico)

    Mais informações na página da premiação.

    Fonte: Site da UFSC

     


  • Nota de Pesar: Janio Scheffer

    Publicado em 18/08/2021 às 14:00

    A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) comunica, com pesar, o falecimento de Janio Scheffer, servidor técnico-administrativo aposentado da Prefeitura Universitária/Secretaria de Obras, Manutenção e Ambiente (Seoma). Janio faleceu na noite de terça-feira, 17 de agosto, em decorrência de uma parada cardíaca, durante uma cirurgia.

    Janio, que faria 65 anos no dia 30 de agosto, ingressou na UFSC em 1º de setembro de 1980, no cargo de técnico em mecânica. Graduou-se em Administração pela mesma universidade em 1987, foi prefeito do Campus de 1992 a 1996 e coordenador do Núcleo de Manutenção (Numa) de 2003 a 2018, ano em que se aposentou, após mais de 38 anos de serviço na Universidade.

    Em 2019, retornou à UFSC como aluno de Zootecnia.

    Janio será velado nesta quarta-feira, das 16h às 18h no cemitério Jardim da Paz, trevo do bairro João Paulo, em Florianópolis.

    A comunidade universitária expressa suas condolências à família e aos amigos de Janio neste momento de dor.

    Fonte: Site UFSC

    Homenagens: 

    A Comunidade do CCA, professores, TAES, colegas, amigos e demais funcionários e em especial do curso de Zootecnia, se solidarizam com os familiares e amigos do Jânio.

    A Coordenadora do Curso de Zootecnia Milene Puntel Osmari  deixa o seguinte registro; “No curso de Zootecnia Jânio sempre foi muito ativo, empolgado nas discussões, sempre muito cordial e atencioso com todos. Conquistou o carinho e admiração dos colegas e com certeza nos fará uma grande falta. Descanse em paz meu querido e olhe por nós!!”

    Nas palavras do pesquisador técnico-administrativo Voltolini que o conhece desde o início da carreira na UFSC ” É uma enorme tristeza perder um colega e amigo de longa convivência na UFSC… Se dedicou de corpo e alma para fazer sempre o melhor no trabalho…. Mesmo aposentado recentemente, tinha muita vontade, empolgação e energia para novas experiências e aprendizados dentro da UFSC… Descanse em paz meu caro!!”


  • Núcleo de Pesquisa e Extensão em Agroecologia da UFSC recebe selo de produção orgânica

    Publicado em 13/08/2021 às 14:09

    O Núcleo de Pesquisa e Extensão em Agroecologia da Fazenda Experimental da Ressacada (FER), vinculado ao Centro de Ciências Agrárias (CCA) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), recebeu no início deste mês de agosto o Selo de Produto Orgânico para a criação de ovinos e cultivo de hortaliças (produção primária animal e vegetal). Coordenado pelas professoras Patrizia Ana Bricarello e Marília Carla de Mello Gaia, do Departamento de Zootecnia e Desenvolvimento Rural, o setor é o primeiro da Universidade a possuir um selo de produção orgânica.

    A certificação representa que o produto é saudável e livre de qualquer agrotóxico ou transgenia. É o reconhecimento de que os produtos (frutas, hortaliças, grãos e lã ovina) provenientes do local são produzidos de acordo com os padrões que asseguram a qualidade e idoneidade, segundo critérios e normas de conformidade preestabelecidos pela legislação vigente. Os produtos são cultivados respeitando o meio ambiente e a saúde dos trabalhadores rurais envolvidos no processo (estudantes, professores, técnicos e voluntários).

    A professora Patrizia Bricarello ressalta que a importância da certificação para a Universidade, além da garantia da qualidade dos produtos e serviços aos consumidores, está na regulamentação e na formulação de novos processos e tecnologias de produção de grande importância para a manutenção de padrões éticos do movimento orgânico e agroecológico que permeiam a promoção da Saúde Única (saúde humana, animal e ambiental). “Este reconhecimento pode trazer novas oportunidades e experiências para os estudantes de graduação e pós-graduação da área de Ciências Agrárias e afins. Além disso, provavelmente a UFSC será a primeira Universidade brasileira a receber uma certificação orgânica em sua fazenda experimental”, afirma.

    O objetivo do Núcleo é aprofundar as práticas biodinâmicas já realizadas para futuramente receber a certificação de produção  biodinâmica, o Selo Demeter Internacional. Para isso, a unidade agrícola deve seguir os princípios da agricultura biodinâmica, que foi desenvolvida a partir de palestras para agricultores ministradas pelo cientista e filósofo Rudolf Steiner, em 1924, na Polônia. A agricultura biodinâmica é uma abordagem regenerativa e holística para a agricultura, jardinagem e produção e processamento de alimentos e produtos. Conforme explica Patrizia, apresenta padrões mais elevados do que a agricultura orgânica porque olha para o quadro geral e tenta colocar de volta para a natureza mais do que é extraído.

    Processo de certificação orgânica

    O selo de produção orgânica foi concedido via Sistema Participativo de Garantia (SPG), coordenado pela Associação de Agricultura Biodinâmica da Região Sul (ABDSul). O Sistema Participativo de Garantia caracteriza-se pela responsabilidade coletiva dos membros do sistema, que podem ser produtores, consumidores, técnicos e demais interessados. O tempo necessário para a conclusão do processo depende de diversos fatores e varia conforme o ciclo produtivo das atividades e da agência certificadora. Se o estabelecimento já produz conforme as normas orgânicas, como é o caso do Núcleo de Agroecologia (que desde 2014 adota práticas orgânicas), a emissão do certificado que o habilita a utilizar o selo orgânico é relativamente rápida.

    Para receber a certificação de produtor orgânico, a unidade produtiva deve estar em conformidade com a Lei dos Orgânicos (Lei 10.831, de 23 de dezembro de 2003), com o Regimento Interno, o Manual de Procedimentos, as Diretrizes para o padrão da qualidade orgânico e as normas Demeter do SPG da ABDSul. A iniciativa busca estimular entre agricultoras, agricultores e outros interessados o intercâmbio formal de práticas para a produção biodinâmica e para sistemas de produção orgânica. A ABDSul é credenciada pelo MAPA desde novembro de 2016 e conta com diversos grupos de produtores em diferentes estágios em processo de certificação.

    Para a professora Patrizia Bricarello, a agroecologia pode beneficiar muito a Ilha de Santa Catarina, que é “um ecossistema frágil e que necessita ser preservado”. Florianópolis foi o primeiro município brasileiro a banir o uso de agrotóxicos em seu território com a Lei nº 10.628, de 8 de outubro de 2019, que institui e define como Zona Livre de Agrotóxicos a produção agrícola, pecuária, extrativista e as práticas de manejo dos recursos naturais no município. “Já existem diversos movimentos de agricultura urbana em nossa cidade e a certificação do Núcleo de Agroecologia da FER/UFSC demonstra que outra forma de agricultura é possível, em contato constante e respeitoso com a terra, a água, as plantas, os animais e as pessoas”, avalia.

    O Núcleo: equipe e projetos

    O Núcleo de Pesquisa e Extensão em Agroecologia integra a Fazenda Ressacada, localizada no Bairro da Tapera, no Sul da Ilha de Santa Catarina. O setor dispõe de uma área de aproximadamente 5 hectares, representando um protótipo de uma pequena propriedade rural, que compõe a unidade de pesquisa, ensino e extensão em agroecologia.
    Participam dos projetos todos os estudantes, bolsistas e pesquisadores vinculados ao Núcleo. Na graduação, há representantes do curso de Zootecnia (Marceli Carvalho da Silva, Gabriel Paiva e Laura Livia Arias Avilés ) e de Agronomia (Andressa Barbosa, Andrey Luiz Rocha e Juliana Cunha). Os projetos tem também a participação do médico veterinário da Fazenda Ressacada (Thiago M. Pinheiro Machado), com o apoio da equipe técnica da FER, e estudantes da pós-graduação (Edaciano Leandro Losch e Giuliano de Barros).

    O rebanho mantido no local é composto por cerca de 60 ovinos das raças Texel, Crioula Lanada, RomneyMarsh, Ideal e seus cruzamentos. Os animais permanecem durante o dia a pasto em sistema de Pastoreio Racional Voisin (PRV). Diariamente o rebanho é conduzido até o centro de manejo, onde recebe suplementação nutricional e cuidados preventivos. Todos os tratamentos veterinários são realizados com plantas medicinais, medicamentos homeopáticos e fitoterápicos. O bem-estar dos animais é priorizado no Núcleo de Agroecologia.

    Nas áreas de produção vegetal são cultivadas hortaliças, grãos, tubérculos, plantas medicinais e frutíferas, através do consórcio e rotação de culturas, uso de esterco e composto orgânico, homeopatia e preparados biodinâmicos, uso de palhada e adubação verde. Todos os plantios são orientados de acordo com o calendário astronômico biodinâmico, que divide o ano em dias favoráveis e desfavoráveis para os diferentes aspectos do trabalho agrícola. Após a colheita, estes alimentos são doados para famílias em situação de vulnerabilidade social de Florianópolis e região por meio do projeto de extensão do CCA/UFSC: Plantio Agroecológico Solidário.

    Além disso, são realizados trabalhos manuais com a lã orgânica, que envolve todas as etapas de beneficiamento da lã, como a lavagem, cardagem e tecelagem. Também são realizados tingimentos naturais da lã orgânica no projeto de extensão Ovelhas Azuis. O Núcleo também mantém ativo projeto Tecelagem artesanal de lã ovina e vivências em agroecologia para jovens e adultos com deficiência mental, que desenvolve técnicas de artesanato em lã visando à inclusão social dos deficientes mentais, promovendo habilidades artísticas para a confecção de produtos geradores de renda e sustento.

    Outra ação de destaque é o Projeto Fazendinha, iniciativa que atende crianças de escolas públicas e particulares do município de Florianópolis e região, permitindo o contato com a rotina do meio rural e com as vivências direcionadas para um maior entendimento sobre as criações animais e cultivos vegetais, tais como: alimentação e cuidados de animais de fazenda, nascimento de cordeiros e bezerros, tosquia anual, beneficiamento da lã (lavar, cardar e feltrar) e a produção de alimentos da horta, com base agroecológica e respeito à natureza e aos animais. Este projeto, no entanto, está suspenso no momento devido à pandemia de Covid-19.

    Mais informações na página do Núcleo ou no perfil no Instagram.

     

     

     

     

    Maykon Oliveira / Jornalista da Agecom / UFSC
    Fotos: Divulgação

     

    Fonte: Site UFSC