Centro de Ciências Agrárias
  • Conselho Universitário homenageia e agradece Glauco Olinger pelo seu legado

    Publicado em 14/09/2022 às 19:48

     

    O Conselho Universitário (CUn) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) prestou homenagem ao professor aposentado do Centro de Ciências Agrárias (CCA), Glauco Olinger, que comemora 100 anos no próximo sábado, dia 17. A sessão solene do Conselho ocorreu na terça-feira, 13 de setembro, no auditório da Reitoria e teve transmissão ao vivo pelo YouTube.

    “Foi aqui nesta universidade que alguns anos atrás eu recebi o maior título, o que mais me honrou e mais me honra. Dificilmente haverá um título mais honroso que o título de professor”, disse Glauco, primeiro a discursar durante a sessão solene.

    O quase centenário Professor Emérito expressou “profundíssima emoção”, e agradeceu pelo que denominou ser um “grande momento” de sua vida profissional. Desculpando-se pelo seu linguajar, que disse não ser acadêmico e sim de um extensionista rural, o professor ofereceu o que denominou uma “mini-aula” aos membros do CUn e pessoas presentes na solenidade, sobre o desenvolvimento socioeconômico de Santa Catarina e do Brasil, e sobre o destino da Floresta Amazônica.

    O professor falou sobre os problemas socioeconômicos causados pelo transporte rodoviário no Brasil, desde 1960 colocado como prioridade de investimentos, em detrimento dos transportes ferroviário e aquaviário. Ele apontou soluções, como a construção de ferrovias para dar vazão à produção agrícola de Santa Catarina, ligando não somente o oeste do estado ao litoral, como também conectando o Paraguai a Santa Catarina por via férrea. “O Paraguai é uma nação amiga e um grande produtor de milho e soja, principais ingredientes para a produção de ração para aves e suínos”, explicou. A Ferrovia do Frango, projeto que ligaria o oeste catarinense ao litoral, se chamaria então Ferrovia Guarani, sugere o professor, “em homenagem aos índios de lá e de cá”.

    Cesta de produtos da Feira Orgânica do CCA, presenteada ao professor Glauco. Na foto, Rosete Pescador, diretora do CCA, e Anderson Luiz Romão, egresso da UFSC. (Foto: Camila Collato/Agecom/UFSC)

    Glauco deu, ainda, uma breve palestra sobre o futuro da Floresta Amazônica. “Quem derruba uma árvore comete um crime contra a natureza. Uma árvore chega a produzir até mil litros de chuva por ano. E as chuvas são as grandes responsáveis pela amenidade do clima”, falou. O professor reforçou a necessidade de manter a floresta e reflorestar as áreas degradadas. “A floresta pode cumprir um papel importante na produção de alimentos. A Floresta precisa ser enriquecida com as árvores que podem produzir os alimentos, e assim ainda contribuir com o clima”, salientou. Defendeu a recuperação de florestas degradadas também na região atlântica, e demonstrou soluções de subsistência da floresta e da pecuária.

    “Precisamos de mais florestas aqui em Santa Catarina, precisamos de mais árvores nos centros urbanos, de mais parques, jardim, flores e árvores de sombra, de grande área foliar. Esta é a mensagem que eu deixaria”, emocionou-se o professor, que lembrou em seu discurso os familiares presentes e amigos da UFSC. “Eu amo a todos”, agradeceu.

    A servidora técnico-administrativa em Educação, Aline Cardozo. (Foto: Camila Collato/Agecom/UFSC)

    Rosete Pescador, diretora do CCA, discursou e lembrou que conheceu o professor Glauco quando era aluna na primeira fase do curso de Agronomia da UFSC. Rosete lembrou dos marcos da carreira do professor, e ressaltou seu papel para inspirar jovens que se tornaram profissionais que deram continuidade ao legado de Glauco. “Foi multiplicador de esperanças. Qualificou a extensão universitária e atuou pela valorização da agricultura familiar”. Falou ainda, do papel do professor na extensão rural. “Se hoje Santa Catarina é modelo nacional e internacional em tecnologias agropecuárias e cultivo de orgânicos, isso não aconteceu por acaso. Glauco Olinger foi decisivo para o estado atingir esta realidade”, ressaltou em seu discurso a diretora e membra do Conselho.

    Joana Célia dos Passos, vice-reitora da UFSC, em seu discurso lembrou ter atuado também como extensionista rural e prestou homenagem ao professor Glauco Olinger com um discurso sobre a importante participação do professor na construção da Universidade. “A nossa Universidade agradece, agradece e agradece. É isso que fazemos com quem veio antes”, disse.

    A sessão solene foi proposta pelo conselheiro e pró-reitor de Pós-Graduação da UFSC, Werner Kraus. (Foto: Camila Collato/Agecom/UFSC)

    O reitor da UFSC e presidente do Conselho Universitário, Irineu Manoel de Souza, encerrou a solenidade com discurso sobre a relevância do trabalho do professor Glauco. “A Universidade sempre será grata ao professor Olinger. Demonstramos assim o nosso respeito e reconhecimento por este intelectual que mostra seus atos de amor pela ciência, tecnologia e inovação e pela sociedade”, parabenizou e agradeceu.

    O reitor entregou uma homenagem ao professor Glauco, em nome da Universidade. O Coral da UFSC apresentou canções e houve também a exibição de um vídeo da série Gente que Faz Nossa História, produzido pelo CCA e pela TV UFSC. O professor Glauco também recebeu da diretora do CCA, Rosete Pescador, uma cesta de produtos orgânicos da Feira Orgânica do CCA, confeccionada pelo engenheiro agrônomo Anderson Luiz Romão, mestre em Agroecossistemas pela UFSC.

    Carreira

    Glauco Olinger foi idealizador e o primeiro diretor do CCA. Docente do curso de Agronomia, contribuiu para a construção da Estação Experimental de Aquicultura – Itacorubi, a implantação da Pró-Reitoria de Planejamento, a criação do Sistema de Avaliação do Ensino, Pesquisa e Extensão e a instituição do Serviço de Extensão Rural em Santa Catarina.

    Também atuou como presidente do grupo de trabalho para a implantação dos cursos de mestrado em Engenharia de Aquicultura e em Engenharia de Alimentos, foi membro do Conselho Universitário da UFSC nas da décadas de 1970 e 1980, secretário Estadual de Educação e da Agricultura do Estado de Santa Catarina, presidente da Empresa Brasileira de Assistência Técnica e Extensão Rural (Embrater) e consultor da Organização dos Estados Americanos (OEA) para assuntos agropecuários. Em 2007, recebeu o título de Professor Emérito da UFSC.

    Próximas homenagens

    Na sexta-feira, 16 de setembro, um grupo de amigos de Glauco organiza atividades no CCA e na Epagri. Às 14h30, será feito um plantio de uma árvore Pau Brasil no Centro onde atuou Olinger e às 15h haverá o descerramento de placa e busto no Centro de Treinamento da Epagri, onde, na sequência, será promovido um café de confraternização.

    Fonte: Site UFSC

     

     


  • UFSC e Epagri pesquisam macroalgas utilizadas na produção de biofertilizante

    Publicado em 12/07/2022 às 10:39

    Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) realizaram pesquisas com macroalgas utilizadas na produção de biofertilizante – agente que não contém substâncias agrotóxicas e é capaz de atuar no cultivo de plantas, elevando sua produtividade. O estudo foi implementado em Palhoça, município da Grande Florianópolis líder na maricultura, com a espécie Kappaphycus alvarezii, que depois de processada se transforma em biofertilizante.

    O trabalho começou em 2008 e aponta que o Estado tem capacidade de produzir a macroalga no litoral, sem risco ao meio ambiente e agregando valor à cadeia produtiva da maricultura. Na parceria, a UFSC desenvolve metodologias de cultivo da Kappaphycus alvarezii, estuda a cadeia produtiva do ponto de vista socioeconômico e ambiental, além de viabilizar os cultivos em tanques para manter as linhagens no inverno e participar das negociações de licenças para o início da atividade comercial em Santa Catarina. Em abril deste ano, os maricultores de Palhoça receberam autorização dos órgãos ambientais para iniciar a produção comercial do vegetal.

    Essa espécie de macroalga pesquisada é uma das mais comercializadas no mundo e atende a diversos mercados, desde a indústria alimentícia, farmacêutica, cosmética, até o agronegócio. É conhecida como matéria-prima para a fabricação de carragenana, um coloide muito utilizado como espessante e estabilizante na indústria alimentícia. Em termos ambientais, o cultivo de macroalgas pode auxiliar a minimizar a eutrofização e as ocorrências das marés-vermelhas, uma vez que – assim como as microalgas – as macroalgas competem pelos nutrientes dissolvidos na água e os utilizam para seu próprio crescimento.

    Posicionamento do biofertilizante no mercado

    Alex Alves dos Santos, pesquisador da Epagri, explica que os estudos seguem para detalhar a composição do biofertilizante em cada estação do ano, já que a alga se desenvolve de maneira distinta em diferentes temperaturas de água. Serão analisadas os macro e micronutrientes presentes em amostras do vegetal colhidas no verão, inverno, outono e primavera. Com o resultado desta avaliação, os pesquisadores poderão definir as propriedades específicas do biofertilizante, o que vai permitir posicionar o produto no mercado. “É uma cadeia produtiva nova, que está começando a ser implantada, então, são muitos os desafios, sendo que o principal é o posicionamento do produto no agronegócio nacional”, relata Alex.

    De acordo com informações da Epagri, aproximadamente 30 maricultores de Palhoça já manifestaram interesse de ingressar na produção de macroalgas. Atualmente o município, que conta com 223 fazendas marinhas, é o único do Estado que tem todos seus parques aquícolas liberados para o cultivo do vegetal. Além das vantagens econômicas, a produção também pode trazer ganhos ambientais para Palhoça, já que a macroalga absorve nutrientes da água do mar para crescer e formar grandes volumes de biomassa. Com isso, ela ajuda a combater a poluição marinha e melhorar a qualidade de água, ação importante para a sanidade aquícola dos mexilhões e das ostras, que são organismos filtradores marinhos e, portanto, dependentes de água de boa qualidade.

    Para a pesquisadora UFSC Leila Hayashi, professora do Departamento de Aquicultura, do Centro de Ciências Agrárias (CCA), a pesquisa foi de extrema importância para oferecer uma nova atividade na maricultura de Santa Catarina. “Vários produtores de moluscos foram prejudicados nos últimos anos por terem sido afetados pela eutrofização. As macroalgas não possuem as mesmas exigências dos moluscos e, em especial, das ostras, que são comercializadas e consumidas a fresco. Por isso, os benefícios dos cultivos de macroalgas vão além da geração de renda, mas contribuem com outros cultivos marinhos já bem estabelecidos no Estado”, afirma.

    Com informações da Epagri.

     

    Fonte: Site UFSC


  • Promoção para Classe E – Titular da Carreira do Magistério Superior

    Publicado em 13/06/2022 às 12:26

    O CCA torna público a relação de candidatos aptos à promoção para Classe E – Titular da Carreira do Magistério Superior

    Portaria nº 038/2022/CCA – Comissão Avaliadora de Memoriais da Avaliação de Desempenho (MAD) e Memoriais de Atividades Acadêmicas (MAA) ou Teses Inéditas dos docentes do Centro de Ciências Agrárias aptos a se submeter à promoção à Classe E no primeiro semestre de 2022:

    Professor Avaliado Departamento Data e horário da Defesa
    Pedro Luiz Manique Barreto Ciência e Tecnologia de Alimentos 28/06/2022 às 14 horas

    Banca Examinadora:

    Aimê Rachel Magenta Magalhães (Presidente – Titular Interno – UFSC)
    Fernando Luiz Ferreira de Quadros (Titular Externo – UFSM)
    José Eurico Possebon Cyrino  (Titular Externo – USP)
    Mercedes Gabriela Ratto Reiter  (Titular Externo – FURB)
    Sergio Augusto Ferreira de Quadros  (Suplente Interno – UFSC)
    Marta Gomes da Rocha  (Suplente Externo – UFSM)

    Transmisão pelo Canal do YouTube do CCA 

    ________________________________________________________________________________________________________________________

     

    Professora Avaliada Departamento Data e horário da Defesa
    Maria José Hötzel Zootecnia e Desenvolvimento Rural 30/06/2022 às 09 horas

    Portaria nº 037/2022/CCA – Comissão Avaliadora de Memoriais da Avaliação de Desempenho (MAD) e Memoriais de Atividades Acadêmicas (MAA) ou Teses Inéditas dos docentes do Centro de Ciências Agrárias aptos a se submeter à promoção à Classe E no primeiro semestre de 2022:

    Banca Examinadora:

    Débora Machado Fracalossi (Presidente – Titular Interno – UFSC)
    Fernando Luiz Ferreira de Quadros (Titular Externo – UFSM)
    Marta Gomes da Rocha  (Titular Externo – UFSM)
    Mercedes Gabriela Ratto Reiter  (Titular Externo – FURB)
    Edna Regina Amante (Suplente Interno – UFSC)
    José Eurico Possebon Cyrino (Suplente Externo – USP)

    Transmissão pelo Canal do YouTube do CCA


  • Aditamento de Edital – Programa “Centro de Inovação social, agricultura urbana e educação ambiental”

    Publicado em 13/06/2022 às 11:54

    Vimos a tornar público o segundo aditamento do Edital 001/2022 de Seleção de Bolsistas de Extensão do Programa “Centro de Inovação social, agricultura urbana e educação ambiental”.

    Através deste, resolve-se pela alteração das datas do Anexo 01.

    Confira a alteração do Edital em relação ao cronograma e ampliação para 2 vagas.


  • Homologação do Edital e Entrevista – Projeto de Extensão: Centro de inovação social, agricultura urbana e educação ambiental

    Publicado em 06/06/2022 às 15:24

    Divulgada a  homologação das inscrições e a lista para a entrevista com data e horário  referente ao Edital do Edital 001/2022 de Seleção de Bolsistas de Extensão do Programa “Centro de Inovação social, agricultura urbana e educação ambiental”. 

    Confira o Edital

     


  • Nota de Pesar – aluno do curso de Agronomia Carlos Jordão Goulart da Silva

    Publicado em 04/05/2022 às 12:42

    A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) lamenta o falecimento de Carlos Jordão Goulart da Silva, 22 anos,  aluno do Curso de Graduação em Agronomia, ocorrido no dia  02/05.

    O estudante foi vitima de um acidente de carro. O velório será na capela mortuária do cemitério Jardim da Paz, em Araranguá. Horários não foram informados.

    Os alunos do Curso de Agronomia farão um ato em memória e homenagem no Hall do CCA, em dia e hora a ser divulgada.

    Em luto, a comunidade universitária solidariza-se com a família, os professores e amigos de Carlos  nesse momento de perda e de dor.

     


  • Aberto Edital para o Projeto de Extensão: Centro de inovação social, agricultura urbana e educação ambiental

    Publicado em 11/04/2022 às 16:38

    Estão abertas as inscrições para seleção de bolsistas para o projeto de extensão: Centro de inovação social, agricultura urbana e educação ambiental”.

    Mais informações, acesso o Edital

    Aditamento do Edital

     

     


  • Projeto Feira Orgânica do CCA: Construindo a Agroecologia – Inscrições Prorrogadas

    Publicado em 10/02/2022 às 10:38

    Foi prorrogado o edital para  selecionar alunos de graduação que irão desenvolver atividades de extensão no âmbito do Projeto Feira Orgânica do CCA: Construindo a Agroecologia.
    As inscrições deverão ser realizadas até o dia 21 de fevereiro de 2022, por meio do e-mail marlene.grade@ufsc.br
    Consulte na íntegra o Edital


  • Comprovação de vacinação – Orientações

    Publicado em 09/02/2022 às 11:46

    A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) irá exigir de todos os servidores docentes, técnico-administrativos (TAEs) e outros profissionais que exercem suas funções na Universidade a comprovação de esquema vacinal completo a partir do início da Fase 2, em 14 de fevereiro, próxima segunda-feira. A medida foi publicada no Boletim Oficial nesta segunda-feira, 7 de fevereiro.

    Acesse aqui as informações de como comprovar

    As regras da Portaria Normativa nº 422/2022/GR são válidas para, além de TAEs e docentes efetivos, professores substitutos, visitantes, colaboradores e voluntários, servidores temporários, empregados públicos anistiados, pesquisadores e/ou bolsistas de pesquisas, trabalhadores terceirizados e estagiários. Será necessário comprovar esquema vacinal completo, o que representa duas doses da vacina contra a Covid-19, ou uma dose da vacina Janssen, mais a dose de reforço, conforme as orientações da Pró-Reitoria de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas (Prodegesp).

    A medida é necessária para acesso aos ambientes de trabalho e espaços físicos das unidades da UFSC e o prazo para envio da comprovação é até o dia 13 de fevereiro.

    Serão considerados válidos para os fins comprobatórios os registros de documentos oficiais, como a Carteira de Vacinação Digital, disponível na plataforma ConecteSUS e o comprovante impresso em papel timbrado, emitido no momento da vacinação por instituição governamental brasileira ou estrangeira, com dados legíveis e correta identificação do portador.

    Os ambientes de trabalho devem, a partir da data, ter afixada a sinalização visual correspondente à comprovação de vacinação. Os materiais estarão disponíveis para download na página Coronavirus.ufsc.br.

    Sanções

    A Administração Central também editou a Portaria Normativa nº 424/2022/GR, que apresenta os procedimentos em caso de inobservância ou descumprimento da apresentação de comprovante vacinal. O documento estipula prazos para apresentação de resultados de exames RT-PCR e também para a manifestação da chefia responsável.

    Se não houver a apresentação do resultado do exame de cinco em cinco dias úteis, a pessoa será notificada a regularizar sua situação em até 24 horas. A Divisão de Acompanhamento da Jornada de Trabalho (Dajor/DAP) entrará em contato com a chefia imediata, que deverá se manifestar em até 48 horas sobre a regularização.

    Servidores que não apresentarem o comprovante de ciclo vacinal completo, ou resultado do exame RT-PCR, ou não justificarem a contraindicação da vacina, responderão por Processo Administrativo Disciplinar, além de estarem sujeitos a outras penalidades previstas na legislação vigente.

    A Portaria reforça, ainda, que servidores em condição irregular devem ter suas faltas informadas e identificadas no Boletim de Frequência.

    Fase 2

    A Fase 2, que começa a partir de 14 de fevereiro, é regulamentada pela Portaria Normativa nº 416/2021/GR, que foi suspensa em janeiro de 2022 com o aumento no número de casos de Covid-19. A Portaria agora volta a ser válida, com a justificativa apresentada pelo Comitê de Monitoramento Epidemiológico que indicou que a pandemia entraria em uma fase de estabilidade. É uma etapa de retomada presencial com atividades de organização, e com escalonamento de equipes. Quando foram definidas as Fases de Combate à Covid-19 na UFSC não havia a previsão de imunização, que atualmente têm amplo alcance.
    Saiba mais:

     

    Fonte: Site Prodegesp


  • UFSC retoma gradualmente realização de cerimônias presenciais de colação de grau

    Publicado em 01/12/2021 às 19:19

    A primeira colação de grau presencial desde

    12 de março ocorreu nesta terça-feira, 30 de novembro.

    (Foto: Henrique Almeida)

    A suspensão das cerimônias de colação de grau na Universidade Federal de Santa Catarina foi, em 12 de março de 2020, uma das primeiras medidas a serem tomadas na Universidade para conter a transmissão do coronavírus. Passaram-se 623 dias até que essa celebração fosse retomada de forma presencial. Na última terça-feira, 30 de novembro, 24 formandos dos cursos de Agronomia e Engenharia de Aquicultura puderam reunir presencialmente suas famílias e professores para celebrar o encerramento de sua graduação. Quem não pode estar ali, acompanhou pelo YouTube.

    Em seu discurso, o pró-reitor de Assuntos Estudantis, Pedro Manique Barreto, que foi o responsável por conceder grau aos formandos, pediu desculpas aos presentes, pelo eventual desconforto de uma cerimônia em dia ensolarado, em uma tenda armada em frente ao prédio da Reitoria. “Quero agradecer por estarem conosco nesta manhã, quando retomamos as formaturas presenciais, ao ar livre”, disse. “O processo para que isso hoje se realizasse demandou tempo, muito trabalho, muitos ajustes. Infelizmente não pudemos alcançar todas as turmas, de todos os cursos, porém o dia de hoje é, sem dúvida, um marco para a nossa instituição”, salientou.

    O pró-reitor ressaltou que todos os cuidados foram tomados para que os protocolos “sejam condizentes com a postura da Universidade, por sempre confiar na Ciência e na defesa da vida”. Os discursos durante a formatura reforçaram essa mensagem e o quanto foi emocionante voltar ao convívio presencial.

    Izabela Serpa, oradora da turma de Agronomia.

    (Foto: Henrique Almeida)

    A alegria refletiu-se na fala da formanda do curso de Agronomia, Izabela Sgrott Serpa. Além dela, outros 20 alunos da turma se formaram presencialmente e outros quatro colegas tiveram sua formatura em Gabinete, de forma remota. “Fiquei muito feliz. Sei que é um trabalho gigantesco estar acontecendo aqui a formatura, e sermos a primeira turma a se formar presencialmente na pandemia”, salientou. Ela trouxe seus familiares para acompanhar sua colação de grau e ouvir ao vivo, sem telas, a sua fala, como oradora da turma. “Todos nós fomos pegos de surpresa, e mesmo assim, demos um jeito de estar aqui hoje”, relatou, complementando que muitos formandos e convidados precisaram vir de longe para prestigiar o momento.

    A formanda Mayara Breskovit Blasius, também do curso de Agronomia, conta que se surpreendeu com a possibilidade de realização da formatura ao ar livre. “Tem limitação de pessoas, então não pudemos trazer boa parte da família, mas a gente sabe que foi um privilégio, turmas anteriores não conseguiram”. Sua mãe, Rose, comentou o sentimento de alívio por ver a filha formada. “Já chorei o que podia e não podia hoje. São longos anos de espera, é uma vitória para ela e para toda a família”.

    Luana Galvão, oradora da turma de Engenharia

    de Aquicultura.

    (Foto: Henrique Almeida/Agecom/UFSC)

    A agora engenheira de Aquicultura Luana Galvão da Silva, oradora da turma de três formandos que estiveram pessoalmente, e outros dois que se formaram em Gabinete, de forma on-line, reforçou em sua fala os desafios da profissão que agora passam a ter, e olhou para a experiência como estudante com gratidão. Para ela, e para muitos, essa despedida dos anos de Graduação tem tons de superação, por ainda terem passado por um final de curso durante a pandemia. “Não foi fácil, nem para nós, nem para os professores, nem para ninguém. Hoje é um dia de superação para todos. Hoje merecemos muito estar aqui. Parabéns para todos”.

    Planejamento e decisões

    Proporcionar a realização desse momento especial, repleto de discursos emocionados, foi um processo lento, e demandou decisões difíceis. Segundo o chefe do Gabinete da Reitoria, Aureo Moraes, o planejamento para que esse primeiro evento pudesse ser realizado iniciou ainda no mês de outubro, com a identificação de um ambiente que pudesse ser organizado para receber as solenidades.

    “A maior dificuldade foi conseguir fornecedores para o serviço de sonorização externa, uma vez que muitas empresas deixaram de operar na pandemia”, conta Moraes. Segundo o gestor, a busca por empresas habilitadas levou semanas. “O Gabinete da Reitoria e a Secretaria de Planejamento e Orçamento (Seplan) envolveram-se diretamente nessa busca, mas a Nota de Empenho [documento que autoriza a realização do serviço] só pode ser assinada em 19 de novembro”, explica.

    O pró-reitor Pedro Manique Barreto concedeu

    grau a 24 formandos.

    (Foto: Henrique Almeida/Agecom/UFSC)

    Somente após essa confirmação foi possível entrar em contato com as Coordenadorias de Cursos. A tarefa ficou a cargo da equipe da Coordenadoria de Eventos, responsável pela realização de formaturas, do Departamento de Cultura e Eventos (DCEven) da Secretaria de Cultura e Arte (SeCArte). A previsão comunicada foi de início dos eventos presenciais a partir do dia 30. Os cursos puderam optar pela modalidade presencial ou on-line, e ainda em alguns Centros, foi organizada a possibilidade de realização das formaturas em Gabinete, para alunos que não pudessem comparecer presencialmente.

    Até meados de dezembro a previsão é de oito solenidades em espaço aberto. A programação de formaturas continua nos meses de fevereiro e março. O agendamento e protocolo de todos esses eventos é responsabilidade de uma equipe multidisciplinar da SeCArte. Possibilitar as formaturas foi, para essa equipe, trabalho de dias e noites.

    “É com muita alegria que estamos dando início às formaturas presenciais, ao ar livre, com todos os cuidados necessários e um protocolo estrito que visa proteger a comunidade universitária. Sabemos da importância das formaturas na vida dos/as estudantes e gostaríamos que esse fosse realmente um momento inesquecível “, pontua a secretária da SeCArte, Maria Alves Borges.

    “Já chorei o que podia e não podia hoje”, disse Rose,

    mãe da formanda Mayara.

    (Foto: Henrique Almeida/Agecom/UFSC)

    O trabalho dos servidores da Secretaria, especialmente do Departamento de Cultura e Eventos foi reconhecido com diversos agradecimentos ao longo da solenidade. Agradecidos e gratificados sentiram-se também os trabalhadores do setor, por poderem proporcionar não só a organização, como também a transmissão ao vivo, via YouTube.

    “Foram dias de preocupação e dúvidas, mas hoje, realizamos a primeira colação  presencial, ainda em período de pandemia, com a maestria de sempre. Simples, mas cheia de emoção”, conta a diretora do DCEven, Rosemar da Silva.

    Já a coordenadora de Eventos, diretamente responsável pelo bom andamento de toda a cerimônia, Andréa Búrigo Ventura, só descansou e comemorou quando os capelos (chapéus de formandos) foram lançados ao ar. “Toda a equipe ficou muito contente, saiu tudo dentro do esperado, comemoramos muito o resultado. Foi marcante, emocionante. As famílias vieram conversar com a gente, autoridades da UFSC parabenizaram a equipe pelo empenho e pelo trabalho e nós ficamos muito gratificados, por termos conseguido marcar esse momento de tentativa de retorno presencial da Universidade”.

    Calendário e protocolos

    As turmas que irão se formar em dezembro e nos meses subsequentes terão tanto os eventos presenciais como as colações on-line. Em caso de chuvas, as equipes consideram transferir a cerimônia para o hall da Reitoria, ou, ainda, se for possível, realizar nas tendas.

    Dentre os protocolos está a limitação a apenas três convidados por formando, adaptações de cerimonial e roteiro. Não há a entrega de canudos, diplomas de mérito e presentes para homenageados, para evitar o contato. Além disso, todos os formandos e seus convidados, bem como professores, entidades de classe, associações e afins, devem usar máscara e apresentar o passaporte de vacinação completo. É permitido que os oradores retirem suas máscaras ao falar ao microfone, se assim desejarem.